O que é solidariedade?

Posso afirmar que a Páscoa Solidária do Torcedor Solidário este ano foi, sem sombra de dúvidas, a mais emocionante de todas, pela alegria e recepção dos alunos e profissionais do colégio, e pela forma carinhosa como todos os envolvidos no Projeto se dedicaram ao evento.

Em busca de algo novo para minha coluna, dentro daquilo que meu foi proposto, ou seja, a busca por conhecimento e definição para palavras, expressões e verbetes utilizados no futebol, e, porque não, algo relacionado ao Torcedor Solidário, cheguei a conclusão de que muito se fala em solidariedade. Mas qual o verdadeiro significado da palavra solidariedade, qual o significado de ser solidário????

A palavra “solidariedade” é derivada do termo “obligatio in solidum”, que no direito romano expressava, primitivamente, a obrigação comunitária, ou seja, as responsabilidades que o indivíduo tinha em relação a uma coletividade à qual pertencia e de cuja manutenção se beneficiava, como a família. (HÖFFE, O. O que é justiça. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003).

Solidariedade, para a sociologia geral, é o dever moral de assistência entre os membros de uma mesma sociedade, enquanto considerados como um todo. (DINIZ, Maria Helena. Dicionário Jurídico. São Paulo: Saraiva, 1998. Vol. 4. Pg. 415)

Solidariedade, em termos cristãos, é mostrar-se sensível à dor e ao sofrimento de nosso próximo, é sermos filhos de Deus, pois quem está em Deus ama, porque “Deus é amor” (1 Jo 4.8) (DA SILVA, Jaciara. A vida em sociedade).

Partindo dessa premissa, a fim de elucidar o tema, não poderia deixar de trazer para o Portal JEC, um belo texto do Professor e Escritor Sérgio Freire, in http://blogsergiofreire.wordpress.com/2011/03/31/solidariedade/, datado de 20 de novembro de 2007:

“A vida é vivida a partir de parâmetros. Configuramos e reconfiguramos valores e conceitos ao sabor das linhas desenhadas no caderno de nossa existência. A cristalina certeza de ontem é o hoje a opaca dúvida que nos atormenta. As lânguidas demonstrações e juras de amor que vão dormir acesas acordam cinzas langorosas de indiferenças. Porque o mundo gira e porque a vida treme, já não temos mais tanta certeza da certeza. A única certeza é a certeza de nossas dúvidas.

Na geografia dos eventos de nossa vida, com montanhas de alegrias em dias ensolarados ou vales de lágrimas com trovoentas chuvas, demoramos a aprender que de tudo a essência é o amor, em suas variadas incorporações. Dentre elas, a que hoje encontra luz sob o holofote do enredo da minha vida chama-se solidariedade.

A solidariedade é a certeza da presença de alguém, tomando chuva com você, ainda que nada ganhe com isso, só para fazer, pela conversa, o sangue continuar circulando e prolongar sua resistência. Solidário é companheiro de chuva.

A solidariedade é o preenchimento da expectativa de que o outro vai retribuir aqueles momentos em que você, calado ou brigando, prostrou-se na frente daquela batalha, porque acreditava em uma causa, a mesma causa de quem hoje com a mesma verve prostra-se ao seu lado. Solidário é companheiro de trincheira.

A solidariedade é aquela voz inaudível de defesa no meio da gritaria estridente de acusações. É a manifestação eloquente, ainda que silenciosa, da presença solidificante na sustentação em meio aos fortes ventos de tempestade criados por articulações maléficas dos que só se solidarizam para fazer o mal, o que não é solidariedade, mas cumplicidade. Solidário é companheiro de voz.

A solidariedade é espontânea. Vem por convicção e não por remorso. Solidariedade que não é espontânea cessa e titubeia na volta da primeira ameaça, recolhendo-se novamente, assustada, e indo para onde nunca deveria ter saído, no recôndito da tibieza. É uma ilusória gota d’água para quem está à morte com sede no deserto. Solidário é companheiro de sinceridade.

A solidariedade é atemporal e ubiquitária. Sua presença quando necessária chega viajando distâncias temporais e geográficas, assinadas por pessoas queridas distantes do presente, mas presentes no passado, distantes do olhar, mas próximas na retina afetiva. Solidário é companheiro da vida e de vida.

Tomar chuva na trincheira, gritar pelo outro até perder a voz por vontade própria, quando e onde estiver, a hora em que for preciso. Isso é ser solidário. A solidariedade é capacidade de fazer sólido quem de solidez necessita. Parece contraditório, mas cristal é a matéria-prima da solidariedade. Se trinca por hesitação nem mesmo o mais perfeito artesão, que é o tempo, é capaz de remover as estrias. Nem o tempo.

A vida é vivida a partir de parâmetros. Configuramos e reconfiguramos valores e conceitos ao sabor das linhas desenhadas no caderno de nossa existência. A solidariedade, sem dúvida, é amor. E do tipo mais nobre. Do tipo mais inesquecível. Do tipo mais admirável. Hoje eu sei.”

403054_626695647346291_1228421122_n essa